Sexta, 23 de Outubro de 2020

Bacia do Rio Paraíba do Sul

Untitled Document

O principal rio que passa na cidade de Cruzeiro é o Rio Paraíba do Sul. Formado pela confluência dos rios Paraitinga e Paraibuna, o rio Paraíba do Sul nasce na Serra da Bocaina, no município de Paraibuna, no Estado de São Paulo, fazendo um percurso total de 1.120Km, até a foz em Atafona, no Norte Fluminense. A bacia do rio Paraíba do Sul estende-se pelo território de três estados - São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro - e é considerada, em superfície, uma das três maiores bacias hidrográficas secundárias do Brasil, abrangendo uma área aproximada de 57.000km².
A gestão ambiental do rio Paraíba do Sul é feita pelo Comitê Executivo de Estudos Integrados da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba do Sul - CEIVAP (Decreto nº 87.561/82), tendo sido revitalizada, posteriormente, com a aprovação da Lei nº 9433/97, da Política Nacional de Recursos Hídricos.
 
     
A Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos do Paraíba do Sul - UGRHI-2 constitui uma das 22 unidades de gerenciamento, de acordo com o estabelecido na lei nº. 9.034 de 24/12/1994. A UGRHI-2 abrange uma área de 14.228 km2, correspondente à totalidade de 34 municípios inseridos na região do Vale do Paraíba, no leste do Estado de São Paulo. O Município de Cruzeiro integra a UGRHI-2.
A UGRHI-2 localiza-se na porção sudeste do Estado de São Paulo, e seus limites são: ao norte, com a UGRHI-1 (Serra da Mantiqueira), além do Estado de Minas Gerais; a nordeste, com a UGRHI-5 (Piracicaba / Capivari / Jundiaí); a oeste, novamente com a UGRHI-5 e com a UGRHI-6 (Alto Tietê), sendo que esta última também faz o limite sudoeste; ao sul, com a UGRHI-3 (Litoral Norte); a sudeste, também com a UGRHI-3 e com o Estado do Rio de Janeiro; e a leste e nordeste, com os Estados do Rio de Janeiro e Minas Gerais.
 
     
A UGRHI-2 é composta pelos seguintes municípios: Aparecida, Arapeí, Areias, Bananal, Caçapava, Cachoeira Paulista, Canas, Cruzeiro, Cunha, Guararema, Guaratinguetá, Igaratá, Jacareí, Jambeiro, Lagoinha, Lavrinhas, Lorena, Monteiro Lobato, Natividade da Serra, Paraibuna, Pindamonhangaba, Piquete, Potim, Queluz, Redenção da Serra, Roseira, Santa Branca, Santa Isabel, São José do Barreiro, São José dos Campos, São Luís do Paraitinga, Silveiras, Taubaté e Tremembé.
Segundo dados da Secretaria de recursos hídricos do Estado de São Paulo, a bacia não apresenta problemas de disponibilidade hídrica superficial em termos globais. Contempla cinco municípios com índice de abastecimento de água abaixo
 
     
de 80% e vinte e três municípios com índices de perdas estimados em mais de 30%. Quanto aos resíduos sólidos domiciliares, há apenas 45% dos municípios em situação adequada ou controlada, e foram desembolsados até 1998, apenas 9% dos recursos do FEHIDRO para esta bacia.
A considerável expansão demográfica e o intenso e diversificado desenvolvimento industrial ocorridos nas últimas décadas na Região Sudeste, refletem-se na qualidade das águas do rio Paraíba, podendo-se citar como fontes poluidoras mais significativas as de origem industrial, doméstica e da agropecuária, além daquela decorrente de acidentes em sua bacia.
 


A ocorrência de desmatamentos nas margens na bacia hidrográfica do rio Paraíba do Sul é o principal processo responsável pelo assoreamento. A vegetação da bacia do rio Paraíba do Sul encontra-se bastante alterada devido às diversas formas de ocupação e uso do solo, que resultaram em processos de erosão e assoreamento do rio.

Contudo, atualmente, a mais notória e prejudicial fonte de poluição da bacia do rio Paraíba do Sul são os efluentes domésticos e os resíduos sólidos oriundos das cidades de médio e grande portes, localizadas às margens do rio. Atualmente no município de Cruzeiro, todo o esgoto coletado é lançado sem tratamento no córrego da Barrinha, um dos afluentes do rio Paraíba do Sul na cidade. A única ação capaz de reverter esta situação é a implantação de estações de tratamento de esgotos e construção de aterros sanitários e usinas de beneficiamento de lixo domiciliar.
Outros afluentes importantes no município são: Córrego do Barrinha, Rio Embaú, Embaú Mirim, Itagaçaba e Rio do Lopes. Tendo ainda, pela suas importâncias, destaques para os rios abaixo:

-  Passa Vinte, onde se encontra a captação do “Batedor”, feita no bairro do Entre Rios, que abastece a Estação de Tratamento de Água - ETA I, localizada no bairro Pontilhão, responsável por 60% da água tratada e distribuída para o município;
-  Rio Água Limpa, de onde é feita a captação no bairro Jardim Paraíso e bombeada para a ETA III, responsável, por sua vez, por 25% do abastecimento de água tratada da cidade;
-  Rio do Braço, onde se encontra a captação da Capela do Jacu, no município de Lavrinhas, que abastece a ETA IV, responsável pelo tratamento e abastecimento de 15% da água tratada da cidade.

2012 - Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Cruzeiro - Todos os direitos reservados.

2011-2020 © SAAE - Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Cruzeiro • Todos os direitos reservados